BRINCAR É … DESCOBRIR A MAGIA DOS FANTOCHES!!!

Compartilhe Share on Facebook1Tweet about this on TwitterShare on Google+0Email this to someonePrint this page

Os fantoches e a contação de histórias

Contar histórias é uma das grandes habilidades da espécie humana. Ao longo de milhares de anos os homens puderam compreender detalhes das civilizações passadas porque desde os primórdios, de alguma maneira, outros povos retrataram seus modos de vida cada qual à sua maneira.

No entanto, a função de contar histórias não se limita ao registro de nossa evolução. Em muitas culturas a contação de história deixou de ser apenas uma ligação com os antepassados. Contar histórias foi e ainda é uma boa maneira de aproximar pessoas, contribuir com a interação social, incentivar a imaginação e despertar o gosto pela leitura; mas é também uma forma de entretenimento e um jeito maravilhoso de aproveitar bem o tempo ao lado das crianças.

Assim, para tornar as histórias mais lúdicas e atraentes muitos contadores passaram a recorrer a bonecos como fantoches, por exemplo.  Apesar de terem sido usados antes mesmo da Idade Média; na América, o teatro de bonecos passou a se tornar popular com a chegada dos colonizadores.

Atualmente, o que se vê é que os fantoches são recursos poderosos para alcançar crianças; mesmo aquelas mais tímidas ou desinteressadas vão demonstrar curiosidade em algum momento.  Em geral, o interesse pelos bonecos aumenta na medida em que eles ganham personalidade e, até mesmo, um espaço próprio para entrarem em cena.

Para incentivar que adultos soltem suas imaginações e sirvam de exemplo para que os pequenos se sintam estimulados a criarem suas próprias histórias com fantoches, deixamos aqui algumas dicas.

Aprenda a contar histórias

O primeiro passo a ser dado é escolher a história certa a ser contada, que deve ser apropriada à idade dos espectadores; outro ponto importante é que o contador goste daquela história e mostre aos ouvintes que acredita nela; colecionar histórias de família e passá-las adiante por meio do teatro de bonecos também é um bom recurso para fortalecer a afetividade entre pais e filhos, por exemplo. O gosto pela leitura também é outra ferramenta que contribui para enriquecer o repertório dos contadores.

Conheça bem suas histórias

A melhor maneira de reter a atenção de quem escuta algo é mostrar a essa pessoa que você sabe exatamente do que está falando. Então, antes de pegar os fantoches, vale ler e reler a história que será contada várias vezes, a fim de fixá-la na mente. O ideal é que a história seja contada com pausas que indiquem o começo, o meio e o fim. Uma boa estratégia para quem quer garantir que se sairá bem diante das crianças ou da família é gravar a si mesmo contando essas histórias antes de apresentá-las. Durante o teatro de bonecos é importante lembrar de manter o contato visual com os ouvintes e encorajá-los a participar também. Com a interação a brincadeira fica mais divertida.

Contando histórias com fantoches

O ideal é que a história seja escolhida de acordo com o número de pessoas que irão ajudar na contação, uma vez que cada um só tem duas mãos. Assim, se a história tiver seis personagens, uma boa ideia pode ser chamar duas crianças para participarem.

Outro recurso importante é que os fantoches tenham voz própria. Ela pode ser uma voz mais calma, mais baixa, mais grossa, mais alta; vale até ter uma fala diferente, com um sotaque, por exemplo. Tudo isso ajuda a tornar os fantoches mais verdadeiros quando abrem a boca.

Garanta que os fantoches tenham bom comportamento

A brincadeira com fantoches, em geral, é aprendida pelo exemplo. Por esse motivo é importante que o adulto que fará as primeiras representações tenha consciência de não introduzir na história elementos que levem as personagens agredirem umas às outras ou terem mau comportamento. As histórias, em geral, são uma boa chance para que se ensinem valores como limite e respeito.

Dica | Antes de começar

Tão importante quanto escolher a história adequada para cada idade; memorizá-la; apresentá-la de maneira natural; estabelecer um contato visual com a criança que acompanha aquela história e interagir com os pequenos é, logo no início, ajudá-los a entender o que é um teatro de bonecos. Assim, antes de começar a contar uma história, vale conversar com os pequenos sobre a mensagem que será passada ali. Ao final é importante também saber se eles acompanharam e entenderam aquela narrativa. Outra dica fundamental para facilitar essa compreensão por parte deles é prestar atenção ao tempo de duração de cada história.

Fonte de consulta: Storytelling with puppets, props and playful tales by Maty Jo Huf, publicado por Brialiant Publications.

Gostou?  Compartilhe e deixe sua mensagem…

Compartilhe Share on Facebook1Tweet about this on TwitterShare on Google+0Email this to someonePrint this page

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *