BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS DOS 4 ATÉ OS 6 ANOS

Compartilhe Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Email this to someonePrint this page

Uma das etapas mais importantes na vida da criança e de seus pais é caracterizada como a fase pré-escolar e “fase áurea da vida”, onde o brincar toma novas formas e significados

 Tanta coisa já se passou e agora a criança que está a sua frente já não é mais um bebê, também não é uma adolescente e a fase adulta ainda está bem distante. A criança nesta fase já conta com um vocabulário rico, que argumenta, que conta histórias complexas com empolgação e psicodramas, agora tem 4 anos e usará de todo o repertório lapidado ao longo de sua breve vida para interpretar o papel dela mesma e de parte do adulto que se tornará anos depois. A fase é de formação onde as brincadeiras mostram a sua atuação diante de conflitos criados por ela ou não, as informações passadas adiante têm riqueza de detalhes, os brinquedos passam a ter personalidade, a realidade e a fantasia infantil se conversam constantemente.

Brinquedos e brincadeiras para crianças de 4 anos

Mais corrida, mais pulos, mais dança, mais faz de conta.  As brincadeiras das crianças a partir dos 4 anos são muito mais movimentadas, elas querem isso e precisam compartilhar com todos a sua volta as conquistas e as fantasias que elaboram durante os jogos com os amiguinhos.

“A partir dos quatro anos de idade a criança passa a ver o mundo com outros olhos e isso também se reflete na relação com os adultos que a cercam. A pesar do apelo ao lúdico, ela descobre o mundo real a sua volta e a maneira de entendê-lo melhor é fazer parte dele imitando os adultos, suas ações, vestimentas e principalmente o comportamento”, explica Sorahya Bellard, psicopedagoga do Integração Núcleo de Atendimento Clínico Pedagógico.

Estimular a imitação como forma de brincar pode ser extremamente prazeroso para os pais da criança e uma excelente oportunidade de investir na educação explicando o que pode e qual o limite dessa brincadeira.

Mundo do faz de conta

Com tantas histórias para contar, os medos também começam a aparecer, sobretudo se há o estímulo dos adultos em ler os contos onde o mal e o bem existem e travam batalhas, ou mesmo com os personagens comuns ao convívio ou cultura do meio onde a criança vive. Isso incentiva o estreitamento de laços de confiança e afeto entre a criança e seus pais quando se reúnem para contar uma boa história que encante a ambos.

Brinquedos para crianças de 5 anos

A evolução do raciocínio da criança pode e deve ser aproveitada, por isso, os brinquedos de montar mais complexos, os brincadeiras de roda e que envolvam canto e dança, brincar “de casinha” e com objetos de casa ou verossímeis é o ideal. “A tônica é encantar a criança ao apresentar o mundo a ela, sempre dizer o que é aquele objeto ou brinquedo e o que realmente ele faz. Por exemplo, se a criança quer se maquiar, apresente as maquiagens a ela e explique se é hora ou não para ela usar e se os pais acreditarem que sim, investir em produtos adequados a ela”, alerta Sorahya.

O pensamento da criança se voltará muito em construir, montar, desmontar e reconstruir coisas e os pais devem estar atentos a isso. Existem muitos brinquedos adequados a essa necessidade comum das crianças com 5 anos como, tratores, carros, aviões, brinquedos feitos de madeira onde é possível montar casas, castelos até mesmo cidades. Pequenos instrumentos empolgam muito os pequenos também. Afinal, com eles é possível criar músicas próprias, imitar artistas e criar uma banda com a família.

A partir dos 5 anos de idade um individuo é visto com maior facilidade. Muitos pais temem essa idade, pois acreditam ser um marco na formação da personalidade da criança. E estão certos. “Fatores como humor, senso de responsabilidade, dons naturais, qualidades e defeitos se evidenciam a partir dos 5 anos. Essa idade é conhecida também como ‘Fase Áurea da Vida’, onde experiências e aprendizados importantes e primordiais ajudarão na formação do indivíduo na fase adulta”, explica Sorahya.

É chegada a fase pré-escolar e o pensamento lógico toma conta da criança. Obviamente, os brinquedos e as brincadeiras devem acompanhar essa fase. Os jogos, sejam eles com peças ou de competição, atraem muito os pequenos porque estimulam seu raciocínio e fazem gastar energia, os pequenos brincam até cansar.

Caça ao tesouro, pique-esconde, brincadeira de pega, morto ou vivo, mímica e as brincadeiras de rua tradicionais em cada região do país são muito bem-vindas pelos pequenos. Os pais podem aproveitar para apresentar os brinquedos e brincadeiras da época em que eram crianças.

Brinquedos e brincadeiras para crianças de 6 anos

Grandes transformações acontecem durante o sexto ano de vida da criança. Mudanças físicas e psicológicas e do sistema nervoso proporcionam ao pequeno novas emoções, impulsos e ações.

As possibilidades de brinquedos e brincadeiras para crianças de 6 anos são infindas e elas merecem conhecer boa parte delas. As brincadeiras de rua como bolas de gude, pipas ou arraias, bicicletas, carros de corrida e esportes liberta os movimentos da criança e isso a ajuda a crescer e se autoafirmar no espaço e em relação ao seu corpo.

Lidar com números e palavras também fazem parte do brincar, e com os pais participando tudo fica melhor. Quadro negro e giz colorido vão dar asas ao raciocínio lógico da criança dessa idade. “Desde sempre pode-se iniciar o processo de LETRAMENTO que nada mais é do que a leitura do mundo, segundo Paulo Freire. Ainda bem pequenas, as crianças podem ser inseridas no mundo letrado através de livrinhos de histórias que ela pode manusear, ouvir e inventar histórias, reconhecer placas nas ruas através dos símbolos gráficos, desenvolver sua percepção auditiva e visual através de jogos e brincadeiras estruturadas ou não, vivenciar o registro de textos pelo adulto como meio de aguçar sua curiosidade pela leitura e escrita, dentre outros. Dessa maneira, através do letramento ela irá “se equipando” com recursos e estímulos, percebendo a função social da leitura e da escrita para, ao chegar à Alfabetização formal, poder passar de forma positiva e com êxito”, reforça Sorahya.

“É importante respeitar o limite da criança e compreender o tempo dela, cada indivíduo desenvolve suas características pessoais e sua maneira de lidar com o mundo em um dado momento da vida, cabe aos adultos estimular as crianças de maneira correta e apresentar novas possibilidades respeitando sua individualidade e tempo”, completa Sorahya.

Gostou do nosso artigo?  Compartilhe com seus amigos e deixe seu comentário!!  Até breve!

Compartilhe Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Email this to someonePrint this page

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *